publicidade

Estudantes da rede pública no oeste baiano passam a ter produtos da agricultura familiar na alimentação escolar

Escolas estaduais da região Oeste avançam com a inclusão de produtos da agricultura familiar na alimentação escolar, após celebração de convênio com o Consórcio Intermunicipal do Oeste da Bahia (Consid), assinada pelo governador Jerônimo Rodrigues, nesta terça-feira (21), em Santa Rita de Cássia. Ao todo, 22 municípios consorciados irão receber ações para uso dos alimentos na cozinha das escolas e assessoria técnica para as comunidades. Outros investimentos do Governo do Estado para os pequenos produtores somam cerca de R$ 2 milhões, somente na cidade de Santa Rita de Cássia.

Para o governador Jerônimo Rodrigues, além da garantia de uma alimentação de qualidade para os estudantes da rede pública, a parceria com o Município através de um consórcio fortalece o potencial produtivo das cooperativas de agricultores familiares. “Um dos elementos, com o consórcio, é fortalecer o potencial para que as cooperativas, as agroindústrias possam ter suporte técnico, possam ter um selo que certifique que aquele produto, seja de lácteo, de frutas, de animal, é um produto seguro para consumo. Nós queremos ver os municípios gerando renda, emprego. Se nós temos uma política de investimento em agroindústria, é fundamental ter essa inteligência”, disse.

De acordo com Jeandro Ribeiro, diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), à frente das ações nas escolas, a parceria deve atender também a rede municipal. Além de Santa Rita de Cássia, também serão atendidos estudantes das redes estadual e municipais das cidades de Luís Eduardo Magalhães, Barreiras, Formosa do Rio Preto, Mansidão e Catolândia.

“Se nós queremos alimentos saudáveis na mesa dos alunos da rede pública de ensino, seja ela municipal ou estadual, isso depende da agricultura familiar. Intensificamos essa ação a partir de investimentos na agricultura familiar, em agroindústrias, em assistência técnica, em kits produtivos, em investimentos que permitem a produção desses produtos para a entrada na alimentação escolar”, detalhou Jeandro.

Para a comercialização dos alimentos dos pequenos produtores, R$ 1,7 milhão foi destinado à reforma e ampliação do Mercado Municipal, equipamento que vai atender a 120 famílias dos povoados e distritos de Santa Rita de Cássia. A obra contou com cobertura da feira livre e construção de 54 boxes para a venda de grãos e cereais; cortes bovinos, de aves e de peixes. “Com as últimas autorizações aqui no município, são 189 mercados municipais entregues pelo governador”. O diretor afirmou ainda que outros R$ 10 milhões estão sendo investidos através do consórcio local, na assistência técnica e em insumos produtivos e na regulação fundiária.

A agricultora Vanderleia do Santos começou a comercializar suas hortaliças nesta terça-feira, e já tem muita expectativa. “Antigamente, só tínhamos barracas, era muito bagunçado. Hoje em dia, a vida da gente é muito difícil, então para a gente ter as coisas, a gente tem que lutar. E hoje estou muito feliz com essa feira aqui, porque melhorou muito nossa vida. Nossa felicidade hoje é muito grande”, celebrou. Entre os alimentos para venda, estavam alface, couve, cheiro verde, tomate e pimentão. “Tudo natural e sem agrotóxico”, garantiu ela.

A SDR, em parceria com a Superintendência de Desenvolvimento Agrário (SDA), também formalizou a entrega de 75 títulos de terra para agricultores de 14 distritos e povoados, por meio do projeto ‘Bahia Mais Forte, Terra Legal’.

Segurança hídrica

Caraíbas de Melo, uma das localidades onde vivem famílias de pequenos produtores, também foi beneficiada com a entrega de um Sistema Simplificado de Abastecimento de Água. Cerca de 60 famílias foram contempladas. Outras 136 ligações domiciliares foram feitas nas regiões de Lagoa dos Ferrões e Engenho, que ficam a 55 quilômetros da sede do município.

Larissa Moraes, secretária de Infraestrutura Hídrica e Saneamento do Estado (SIHS), enfatizou que abastecimento integra projetos transversais na gestão estadual, que atendem não só a segurança hídrica das comunidades, mas aos trabalhos da Saúde e do Desenvolvimento Rural.

“Falar em abastecimento hídrico é muito mais, na verdade, do que levar água para consumo humano. Claro que essa é a prioridade da vida, até porque água é vida, é dignidade, mas é um projeto muito maior. Água é matéria-prima para absolutamente tudo. É sobre agricultura familiar, alimentação animal. A gente tem que pensar na amplitude do que isso significa. E isso é fortalecer, como sempre, a nossa base social”, reforçou a gestora.

Quase R$ 1 milhão foi investido nos projetos pela Secretaria de Infraestrutura Hídrica (SIHS) para construção de todo o sistema de captação, adoção e distribuição de água para cerca de 700 habitantes que moram nas comunidades.

O governador Jerônimo Rodrigues também assinou ordem de serviço para construção de outros sistemas como os entregues nas localidades de Baixão do Tanque, assentamento Antônio Conselheiro Nova, Belmonte, assentamento Três Mil, assentamento Antônio Conselheiro e outras comunidades rurais. Serão mais R$ 4,3 milhões destinados ao tema da água.

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Mais notícias

publicidade