https://www.instagram.com/sufotur?igsh=MXA2dzZvOTIydXp0dA==
https://www.instagram.com/sufotur?igsh=MXA2dzZvOTIydXp0dA==

publicidade

https://www.instagram.com/sufotur?igsh=MXA2dzZvOTIydXp0dA==

Nova onda de calor atinge 57 cidades baianas até domingo

Parte da Bahia está sendo atingida por uma nova onda de calor que atingiu o Brasil nessa quinta (14), com temperaturas máximas podendo superar 40°C no final de semana, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O órgão indica que 57 cidades baianas serão impactadas pela massa de ar quente, que também atinge estados do Centro-oeste, Sul, Sudeste e áreas das regiões Norte e Nordeste. Essa é a quinta onda de calor que atinge a Bahia neste ano.

O cenário deve ser mantido até o próximo domingo (17). O Inmet emitiu um aviso meteorológico, indicando os níveis de perigo conforme a persistência da massa de ar quente em determinadas áreas: permanência do fenômeno de 2 a 5 dias representa perigo potencial, enquanto de 3 a 5 dias indica perigo. Caso a onda permaneça em uma região por mais de cinco dias, o aviso é de grande perigo.

A onda de calor se dá pela atuação de uma massa de ar quente e seca, com o registro de temperaturas máximas 5°C acima da climatologia média de três a cinco dias, como explica a meteorologista do Inmet Andrea Beltrão. No entanto, as temperaturas podem ficar acima da média após o domingo devido a intensidade do El Niño, fenômeno caracterizado pelo aquecimento anormal das águas do Pacífico.

“O El Niño ainda está com intensidade forte. Ele deve ter um pico maior em dezembro e janeiro. A partir de fevereiro, a intensidade diminui, mas, ainda assim, vai influenciar as condições do tempo e do clima, com prazo para ir, pelo menos, até o outono de 2024”, explica.

Apenas em 2023, nove ondas de calor atingiram o Brasil. A principal delas atuou entre os dias 8 e 19 novembro, com recorde de temperatura de 44,8°C, registrada na cidade Araçuaí, em Minas Gerais, no último dia 19. A marca superou a maior temperatura registrada por estações do Inmet, superando a máxima de 44,7°, registrada na cidade de Bom Jesus, no Piauí, em novembro de 2005.

https://www.instagram.com/sufotur?igsh=MXA2dzZvOTIydXp0dA==

De acordo com Andrea, a frequência da atuação de um anticiclone no Atlântico favorece a manutenção dessas massas de ar seco e quente, que mantém o calor e as altas temperaturas em certas regiões do país.

No último dia 30, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) apresentou um panorama da atual situação climática do planeta por meio da versão provisória do Estado Global do Clima 2023. O documento indica que o ano de 2023 é o mais quente em 174 anos de medições meteorológicas. Até outubro, a temperatura média da superfície global era de 1,4 °C acima da média de 1850/1900. A marca supera os anos de 2016 e 2020, que registraram 1,29°C acima da média e 1,27°C acima da média, respectivamente.

Ainda conforme o documento da OMM, os anos mais quentes da história serão os últimos nove, entre 2015 e 2023.

Desta vez, 57 cidades baianas serão afetadas, com destaque para a região oeste do estado. Confira lista abaixo:

  • Angical
  • Baianópolis
  • Barra
  • Barreiras
  • Bom Jesus da Lapa
  • Boquira
  • Brejolândia
  • Buritirama
  • Caculé
  • Caetité
  • Canápolis
  • Candiba
  • Carinhanha
  • Catolândia
  • Cocos
  • Condeúba
  • Cordeiros
  • Coribe
  • Correntina
  • Cotegipe
  • Cristópolis
  • Feira da Mata
  • Formosa do Rio Preto
  • Guanambi
  • Ibiassucê
  • Ibotirama
  • Igaporã
  • Iuiu
  • Jaborandi
  • Jacaraci
  • Licínio de Almeida
  • Luís Eduardo Magalhães
  • Macaúbas
  • Malhada
  • Mansidão
  • Matina
  • Mortugaba
  • Muquém do São Francisco
  • Palmas de Monte Alto
  • Paratinga
  • Pilão Arcado
  • Pindaí
  • Riachão das Neves
  • Riacho de Santana
  • Santa Maria da Vitória
  • Santana
  • Santa Rita de Cássia
  • São Desidério
  • São Félix do Coribe
  • Sebastião Laranjeiras
  • Serra do Ramalho
  • Serra Dourada
  • Sítio do Mato
  • Tabocas do Brejo Velho
  • Tanque Novo
  • Urandi
  • Wanderley

publicidade

https://www.instagram.com/sufotur?igsh=MXA2dzZvOTIydXp0dA==

publicidade

publicidade

publicidade

Mais notícias

publicidade