publicidade

Trabalhadores da Educação com mais de 40 anos serão vacinados em Salvador na terça-feira; veja detalhes

Também foi anunciado a imunização dos pacientes transplantados. Anúncios foram feitos na tarde desta segunda (26) pelo prefeito de Salvador, Bruno Reis.

Os trabalhadores da Educação Básica a partir de 40 anos serão vacinados a partir de terça-feira (27). Além deles, também começam a ser imunizados com a primeira dose os pacientes transplantados. As informações foram divulgadas na tarde desta segunda (26) pelo prefeito de Salvador, Bruno Reis.

Segundo a prefeitura de Salvador, para se vacinar é necessário que o nome do profissional esteja na lista publicada no site da SMS e no ato da vacina deve estar munido dos seguintes documentos: documento oficial de identificação com foto; cópia impressa do último contracheque ou cópia impressa do contrato de trabalho Pessoa Jurídica atualizado.

“Serão vacinados todos aqueles acima de 40 anos e não só os professores, mas todos que trabalham nas escolas da rede pública municipal, da rede estadual e da rede privada, até o Ensino Médio. Com isso estamos trazendo mais segurança para os trabalhadores poderem retomar as aulas no dia 3 de maio”, declarou o prefeito.

vacinação dos professores com mais de 40 anos foi anunciada pelo prefeito no sábado (24) junto com a imunização dos trabalhadores da limpeza e do transporte coletivo rodoviário de 50 anos ou mais.

Reivindicação dos professores

Na sexta-feira (23), Bruno Reis anunciou a retomada das aulas de forma semipresencial. O retorno será a partir do dia 3 de maio, tanto para escolas públicas municipais, quanto para as particulares.

Uma reunião foi feita com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB) ainda na manhã da sexta, antes do anúncio. Bruno Reis informou que a APLB levou 13 reivindicações para retorno, das quais 12 foram aceitas pela prefeitura. Os pleitos não foram especificados.

Entretanto, por meio de nota, a APLB afirmou que os professores só retornarão às escolas após a imunização total dos trabalhadores da Educação. O sindicato afirmou que, sem a vacinação completa, a categoria poderá entrar em greve.

Fonte: G1

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Mais notícias

publicidade