publicidade

Engenheiro acusado de matar esposa na noite de réveillon na Bahia é condenado a 27 anos de prisão em regime fechado

O engenheiro Reges Amauri Krucinski, acusado de matar sua esposa, a jornalista Juliana Krucinski, a tiros na noite de réveillon, em 31 de dezembro de 2021, foi condenado a 27 anos de prisão em regime fechado. A decisão foi divulgada nesta sexta-feira (7), conforme informações da TV Santa Cruz, afiliada da Rede Bahia na região.

Juliana Krucinski foi atingida três vezes na cabeça e uma no tórax, na cidade de Porto Seguro, no sul da Bahia.

De acordo com os relatos dos vizinhos do casal, os quatro tiros foram ouvidos durante uma discussão, minutos antes da virada do ano. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas Juliana já foi encontrada morta. Policiais militares foram ao local e encontraram Reges ainda ensanguentado.

Segundo informações da Polícia Civil à época do crime, Reges Amauri tem registro de posse de arma concedido pela Polícia Federal, como atirador esportivo e colecionador de armas.

A polícia informou que, na casa do casal, foram encontrados uma pistola 380, um revólver 357, uma espingarda 12 e mais de 160 munições de diferentes calibres.

O delegado responsável pelo caso relatou que, após ser preso, o engenheiro Reges Amauri Krucinski tentou tirar a própria vida dentro da delegacia, mas não conseguiu. Ele foi atendido por equipes do Samu.

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Mais notícias

publicidade